sexta-feira, 21 de setembro de 2012

As Relíquias dos Deuses - Capítulo 19 - Pequena Coroa

"It was a thousand to one and a million to two. Time to go down in flames and I'm talking to you" (Closer to the Edge - 30 Seconds to Mars

Todos se viraram. Pelo menos seis cobras verde-lima amarelas embranquecidas, curtas e grossas, avançavam em sua direção. Suas cabeças eram envoltas em uma juba de barbatanas brancas e pontudas, e seus olhos eram grandes e amarelos. O chão parecia estar sob ação de ácido sulfúrico onde quer que as cobras passassem. Elas sibilaram, e chamas ondularam em suas bocas.
Nick: Falei besteira cedo demais. - Ele deu um sorriso torto e nervoso.
Selena: O que... ?
Danielle: Basiliscos. Ou pelo menos... um dos tipos de basiliscos.
Taylor[S]: E como matamos essas coisas sem sermos dissolvidos? - Uma bola de chamas quase atingiu o sapato do Taylor, mas Demi a apagou primeiro.
Selena: Petrificus Totalus. - Não deu certo, o basilisco em sua mira se desviou primeiro, mas o chão foi salvo de se deteriorar pelo feitiço. - Acho que vamos ter que usar toda a nossa agilidade e mira.
Nick: Então vamos atacar. - Todos se encararam, antes de partirem para a "batalha".
As "pequenas coroas" - pequena coroa, o significado da palavra "basilisco" - eram rápida e ágeis. Pestes. Danielle usou sua lança para acabar com um dos monstros que havia sido petrificado, ou a lança também se deterioraria.
Semideuses e bruxos se ajudavam, congelando os basiliscos, despedançado-os, mas volta e meia o veneno dos monstros os atingia, mesmo que pouco.
Restava apenas um. Mas era o mais esperto, mais rápido e mais perigoso. Chamas dançavam em sua boca enquanto ele deslizava por entre o grupo. Joe caiu de joelhos, sentindo a malha da calça que encobria seus joelhos queimar. Demi o ajudou, tentando acalmá-lo. Não podiam parar agora.
O basilisco agarrou o tornozelo de Danielle - ou quase. Kevin a puxou quando ela gritou de dor, coisa que não se via todo dia da filha de Atena.
Kevin: CONFRINGO! - E lá se foi o último basilisco.
Eles foram para uma área afastada, a área mais escondida possível. Dani e Joe caíram no chão, se contorcendo de dor. O veneno estava se alastrando.
Demi ajoelhou-se ao lado do namorado. Joe raramente expressava dor ou chorava, mas seu rosto expressava sofrimento puro agora, ele sentia como se sua pele estivesse sendo rasgada. Danielle já chorava a esta altura, quando Tay e Kevin conseguiram os vidros de essência de ditamno, Tay cuidando de Joe e Kevin de Danielle.
Logan: Acham que conseguem aguentar outra batalha? - O filho de Poseidon perguntou após todos serem devidamente tratados.
Joe: Vamos, vamos acabar logo com isso. - O grifinório se levantou em um salto.

Eles seguiram para o leste, como instruído pela estátua. Não pararam, evitando os caminhos que levavam ao movimentado centro de Berlim, passando por becos e qualquer outro lugar oculto. Uma nevasca ameaçava cair, ainda havia neve em alguns lugares, inclusive nos galhos das árvores que assustavam os semideuses e bruxos com ruídos e farfalhares. Até avistarem uma floresta onde as folhas das árvores continuavam verdes e sem nenhum sinal de neve sobre elas.
Miley: Chegamos... - Ela concluiu. Se virou para Nick e o beijou. - Eu aceito. - Sussurrou, agarrando a mão do garoto, que sorriu e assentiu. Ninguém mais parecia entender, mas isso não importava agora.
Taylor[L]: Vamos. - Eles seguiram caminho por entre as árvores, parando a cada barulho de galhos se partindo. A floresta parecia muito escura, mesmo nas primeiras horas da manhã, e poucos raios solares iluminavam o caminho. Depois de alguns quilômetros, uma clareira apareceu logo à frente, uma imensa clareira onde os raios de sol podiam entrar livremente e coelhos, esquilos e outros animais de pequeno porte passeavam livremente, mas paravam um pouco antes de chegar ao centro da clareira e fugiam assustados; parecia que havia um campo de força ali, ou algo pior, definitivamente pior. A terra também estava mais escura ali, não havia grama e tudo ali parecia ser perigoso e desafiador.
Selena: Parece que achamos.
Taylor[S]: Isto é assustador. O que fizermos agora, isso definirá o que vem depois. - Selena retirou sua mochila das costas e abriu-a, caçando o tridente e o raio-mestre lá dentro. Retirou-os lá de dentro e voltou a mochila, já fechada, para as costas, juntando os objetos no mesmo plano conforme havia sido instruída.
As relíquias pareceram esquentar sob suas mãos, puxando-a para perto da área escura e sem grama. Os outros a seguiram cautelosamente, assustados
Selena: É aqui. - Ela constatou. Todos se agacharam, formando um semicírculo ao redor da terra estéril que parecia exalar poder. Um péssimo poder, um poder mortal.
Taylor correu cautelosamente os dedos pela terra, sentindo uma sensação ruim. Começou a escavar a área com os dedos.
Taylor[L]: Temos que achar o elmo o mais rápido possível. - Um ruído entre as árvores fez o grupo se virar. Nada, ninguém. Provavelmente apenas o vento, pensaram, e começaram a cavar usando os dedos.
Eles cavavam rapidamente, sem quase respirar. Foi quando a terra marrom-avermelhada passou a dar lugar para o preto, algo parecido com um capacete de guerra medieval com um penacho preto em cima surgiu. Nick pegou o objeto e retirou-o cuidadosamente do buraco.
Nick: O elmo das tr...
XxX: Ora, ora, ora...

Continua...
*Esses basiliscos são os descritos em Filho de Netuno. O que aparece em Harry Potter é o da mitologia nórdica, por mais que seja o 'tipo' mais conhecido.


Respondendo aos comentários...
Leeh Awwwwn, obrigada! Muito mesmo afsjalk. Kkkkk e aí, você havia acertado seu chute? Sou tão previsível que você deve ter e.e postado nem tão logo masok. Beijos <3
I&#39;m Hutcher Awwn, obrigada! Postado... não tão logo e.e
Anônimo Poxa, sério, também rezo para que Deus derrame bençãos e mais bençãos em você, porque você merece o melhor! Muito obrigada mesmo! Não sei como agradecer! Obrigada, mas graças a Deus está tudo indo bem. E contigo? Não precisa agradecer, sério! É um prazer conversar contigo. Postado, não tão logo mas... beijos!

2 comentários: